[texto] eu sou a maior inimiga do impossível

hoje eu acordei querendo dormir mais, mas decidi sair pra correr um pouco ouvindo Exu do Blues. “eu sou o maior inimigo do impossível” ele disse e eu me identifiquei.

2018 foi um ano em que eu quis muito desistir de tudo. do trabalho, do casamento, da cidade, da minha empresa. quis desistir de tudo várias vezes..sempre tentando lembrar de que a vida é cheia de subidas e descidas.

foi difícil. mas, foi um ano em que eu também me venci muitas vezes.

2018 foi o ano em que comecei a correr e de tanto acreditar e treinar um dia eu corri 5km e isso me fez me sentir POTENTE e INVENCÍVEL – afinal, eu não corria nem 0,5km sem sofrer. esse foi o ano em que eu escalei montanhas de 30, 60, 90m que me fizeram tremer muito e sentir coisas que nunca senti. que me fizeram chorar de medo. de medo de me conhecer. lembrei que, aos 25, eu to botando minha empresa pra cima. que eu e meu parceiro compramos um fusca, com que eu tanto sonhei, e viajamos 3 mil km com nossa cachorra, com quem tanto sonhei. eu viajei sozinha. eu quase morri algumas vezes. eu finalmente me reconheço como designer e vejo como meu trabalho é bom.

****

enquanto corrida, me lembrei que em 2018 o esporte me ensinou a ser minha própria comparação.

****

hoje de manhã eu sai pra correr, uns 2km como de costume. mas depois de lembrar que eu sou maior do que o impossível, eu corri mais e pensei em todas as coisas incríveis que eu fiz.

“I’m feeling glorious” tocou no fim dos quase 6km nunca antes corridos e eu senti que “this is the best day off my life”. mas não porque é minha celebração de 25 anos de sangue, sonho e América do Sul. mas porque o HOJE sempre é a única e melhor coisa que temos.

obrigada vida!
eu sou a maior inimiga do MEU impossível!

🙏🏻🙌🏼⛰

Advertisements

[texto] saudade não é a alma querendo voltar

dizem [rubem alves disse, na verdade] que a saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar. e eu sempre concordei.

a saudade que não tem tradução é aquele negócio que faz doer o peito, que faz a gente sonhar acordada e pensar em como tudo era bom.

eu achava mesmo que meu coração queria voltar pra alguns cantos, até o dia em que eu senti saudade de São Paulo. aquela minha cidade cinza, caótica, entre prédios e correrias que eu deixei pra trás há quase dois anos.

será que essa saudade é a vontade de voltar?

foi culpa do instagram que me trouxe uma foto do martinelli [no centro de São Paulo] e me fez pensar que não seria tão ruim assim voltar e morar no centro de São Paulo. muita cultura, muita música, muitas festas, perto do [antigo] trabalho..me pareceu uma boa ideia. me fez lembrar do tempo em que eu ocupava demais os museus da cidade, caminhava entre a Armênia e a Sé sem perceber o tempo passar e de quando eu visitava as pontas da linha azul como se elas fossem próximas.

o problema é que quando a saudade fala mais alto a gente esquece o que nos fez mudar os caminhos. a gente esquece do ônibus lotado, do cinza que engole a cidade e, principalmente, do que deixa a nossa alma feliz.

a saudade faz a gente esquecer o ruim e transformar o que era bom em incrível. mas, normalmente nem é tudo isso. é o combo da saudade e a inquietude pelo novo que faz a gente enxergar o passado assim. mas se o passado era tão bom, por que passou?

quando a saudade de tudo aquilo vier pra atrapalhar o tudo isso, desfrute.
sonhe acordada. lembre como era bom. lamente por não ter aproveitado mais.

mas, não esqueça do que te trouxe aqui e te fez deixar isso tudo lá.
lá no passado, que só a saudade consegue visitar.

isso vale para lugares e pessoas.
principalmente para pessoas.

[dicas] De CLT a Freela: como foi chegar até aqui?

Em 2016 eu decidi sair do mundo CLT para tentar a vida freela/autônoma. Muita gente [como eu achava] acha que trabalhar de casa é o paraíso. Muita gente acha que foi do dia para a noite que cheguei onde estou e não sabe nada sobre o caminho até aqui.

Por isso, decidi escrever sobre isso em detalhes – pra ajudar os curiosos e àqueles que querem deixar a CLT  em busca de mais autonomia.  Continue reading “[dicas] De CLT a Freela: como foi chegar até aqui?”

[relato] Parque Nacional do Itatiaia – Parte Alta

Em fevereiro/2018, eu e meu companheiro decidimos ir ao Parque Nacional do Itatiaia. Encontramos muitas informações na internet, mas sentimos falta de outras. Por isso, segue relato para auxiliar quem deseja conhecer o Parque e suas atrações.

Continue reading “[relato] Parque Nacional do Itatiaia – Parte Alta”

[diários] exercícios físicos e a libertação mental

EU NUNCA FUI DE EXERCÍCIOS FÍSICOS, MAS sempre gostei de testar um milhão de coisas. Aí, em certo momento da vida [+- 2015/2016], em que joelhos doíam muito porque eu ficava sentada o dia todo, eu decidi começar. Continue reading “[diários] exercícios físicos e a libertação mental”

[texto] NA VIDA, É PRECISO TER MAIS DE UM AMOR

isso mesmo, mas não tô falando de pessoas, to falando de tudo: nós precisamos amar mais de uma coisa-pessoa pra não desmoronar.

é muito lindo estar apaixonada por algo ou alguém, mas vamos supor que isso seja o centro da sua vida, ou seja, você ama isso MAIS DO QUE TUDO, sua vida gira em torno disso, seus sonhos são apenas com isso….

Continue reading “[texto] NA VIDA, É PRECISO TER MAIS DE UM AMOR”